-->

Leia antes de iniciar a a leitura no Orquídeas Sem Mistério!

Tutorial do Blog Orquídeas Sem Mistério.

Olá Pessoal!! Estou agora atualizando o Tutorial deste blog, uma vez que ocorreram algumas mudanças em sua funcionalidade tornando o mais pr...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Catasetuns e Catasetíneas - um grupo espetacular da raíz à flor!

olá Pessoal! Depois de um longo período sem entrar com postagens técnicas, venho agora com uma postagem sobre um grupo de planta que sempre nos fascina, intriga e muitas vezes não cultivamos por achar de difícil cultivo, ou apenas temos um ou outro exemplar que ganhamos de algum amigo ou que já tínhamos em nossa casa e sempre comum de encontrar com algum orquidófilo iniciante que as cultiva com muita facilidade sem grandes problemas. Pois é gente, estamos falando dos Catasetuns e plantas afins!

 Vejam agora algumas fotos dessas magníficas plantas para começar esta viagem por esse magnífico mundo das catasetíneas e afins:

Catasetum spitzii  flores masculinas
 Foto Andrew Fogtman


Catasetum spitzii flores masculinas
Foto Andrew Fogtman

Catasetum spitzii flores masculinas
Foto Andrew Fogtman

Cyrtopodium glutiniferum Foto e cultivo: Andrew Fogtman

Catasetum ciliatum flores masculinas
 Foto e cultivo: Andrew Fogtman

Catasetum pileatum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Cyrtopodium poliphyllum
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum Penang (Susan Fucs x pileatum) flores masculinas
 Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum fimbriatum flores masculinas
 Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum schmidtianum x expansum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum semicirculatum flores masculinas
 Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum fimbriatum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum globiflorum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Cyrtopodium paludicolum Foto e cultivo ANdrew Fogtman

Catasetum ciliatum flores masculinas e 1 hermafrodita
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum globiflorum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum fimbriatum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Galeandra chapadensis
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Galeandra chapadensis
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum globiflorum flor masculina aberta artificialmente
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum globiflorum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum globiflorum flor masculina aberta artificialmente
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum schmidtianum x expansum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Cyrtopodium glutiniferum
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum globiflorum flor masculina aberta artificialmente
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum gladiatorum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum globiflorum flores masculinas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Foto de Juan Fernández

Foto de Juan Fernández

Foto de Juan Fernández

Foto de Juan Fernández


E aí gostaram?? Querem cultivar essas belas orquídeas?? Pois bem vamos começar então de fato a postagem.
Os catasetuns são orquídeas pertencentes à subtribo das catasetíneas, ao qual também pertencem outros gêneros afins como Mormodes, Cycnoches e outras e ainda relacionado temos a subtribo das Cyrtopodíneas com os Cyrtopodiuns, Galeandras e outras, fora outros gêneros relacionados como Grammatophyllum, Zygopetaluns e Cymbidiuns. Sem sombra de dúvidas, um grande grupo com plantas muito vistosas, exóticas e coloridas que estão sempre presente em nossos cultivos em maior ou menor número.
Quanto aos Catasetuns, que são o foco principal da postagem, são plantas que possuem algumas peculiaridades que os tornam os principais representantes desse grande grupo nas diversas coleções existentes pelo planeta. As peculiaridades são: 
  1. possuir 2 períodos distintos no seu ciclo de vida - período de crescimento vegetativo e período de dormência;
  2. possuir flores podendo apresentar três tipos básicos de configuração - flores masculinas, flores femininas e flores hermafroditas na mesma planta e em alguns casos na mesma haste floral;
  3. as flores masculinas possuem um dispositivo que funcionam como um gatilho que quando tocado pelo inseto polinizador, ou o dedo de uma pessoa dispara as políneas que se fixam no inseto ou nos dedos.
No cultivo dos Catasetuns e gêneros afins  o ponto mais importante para um bom cultivo desta planta consiste em entender e perceber bem os 2 períodos distintos do ciclo de vida dessas plantas. Um desses períodos é o período de crescimento vegetativo dessa planta, que começa quando a planta emite uma nova brotação e começa a enraizar também, neste período é quando se devem ter os cuidados típicos que temos com as demais orquídeas, como regas adequadas de tal modo que proporcione uma boa umidade ao redor da planta, sem que encharque demais o substrato e sempre evitando molhar folhas, pois Catasetuns e afins são plantas que possuem folhas finas, muito sujeitas ao ataque de fungos e os novos pseudobulbos em formação são muito sujeitos ao apodrecimento. as adubações nesse período também devem ser completas e balanceadas e continuas, assim como se faz com as demais orquídeas seguindo sempre o manejo de adubação que se segue com as demais. Quanto a luminosidade nesse período são plantas em geral que apreciam bastante luminosidade, podendo até pegar algumas horas de sol, ou então pegar uma luminosidade intensa sem pegar sol direto (este assunto da luminosidade será melhor discutido na parte da floração) e a temperatura que em geral são plantas que apreciam temperaturas mais elevadas, não tendo boa resistência ao frio (exceto algumas espécies que toleram temperaturas próximo a zero como o Catasetum cernum ).  É neste período vegetativo que normalmente ocorrem o florescimento, geralmente nos Catasetuns isso ocorre com os bulbos mais desenvolvidos, podendo emitir uma ou até mais hastes por pseudobulbo, já nos Cyrtopodiuns esse florescimento ocorre geralmente no início do período de brotação com a emissão da haste normalmente com os pseudobulbos bem novos e sem folhas ainda.
Vejam agora algumas fotos dessas plantas em período de crescimento vegetativo:

Catasetum ciliatum em desenvolvimento
Foto Andrew Fogtman

Catasetum ciliatum em desenvolvimento
Foto Andrew Fogtman

Cyrtopodium glutiniferum emitindo brotações
 Foto Andrew Fogtman

Catasetum ciliatum com broto mais desenvolvido
Foto Andrew Fogtman
Catasetum sp. com broto mais desenvolvido
 Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum sp. com broto mais desenvolvido
 Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum sp. com broto mais desenvolvido
 Foto e cultivo Andrew Fogtman

Galeandra chapadensis com broto em desenvolvimento
Foto Andrew Fogtman
Cyrtopodium glutiniferum com brotos e hastes em desenvolvimento
Foto Andrew Fogtman

Cyrtopodium poliphyllum com brotos, raízes e hastes em desenvolvimento
Foto Andrew Fogtman

Cyrtopodium poliphyllum com brotos, raízes e hastes em desenvolvimento
Foto Andrew Fogtman

Cyrtopodium glutiniferum com brotos e hastes em desenvolvimento
Foto Andrew Fogtman

Cyrtopodium poliphyllum com brotos, raízes e hastes em desenvolvimento
Foto Andrew Fogtman

Cyrtopodium poliphyllum com brotos, raízes e hastes em desenvolvimento
Foto Andrew Fogtman

Cyrtopodium glutiniferum com brotos e hastes em desenvolvimento 
Foto Andrew Fogtman
Catasetum piliatum com broto mais desenvolvido e haste floral
Foto Andrew Fogtman

Catasetum spitzii com pseudobulbo desenvolvido e em floração Foto Andrew Fogtman

O outro período importante do ciclo de vida do Catasetum e afins é o período de repouso ou dormência, que é caracterizado pela queda das folhas de um bulbo maduro e posterior período de estagnação da planta que pode durar de algumas poucas semanas, até meses ou mesmo até mais de 1 ano, ou mesmo a planta não apresentar um período típico de dormência em alguns casos. De qualquer forma, apresentando esta dormência os cuidados básicos de rega e adubação também devem ser suspensos até que a planta apresente novas brotações, apenas raramente pode-se dar uma leve borrifada raramente no substrato para que evite desidratações exagerada dos pseudobulbos sem folha.
Segue agora fotos de algumas plantas em período de dormência:

Catasetum Suzan Fucs x Piliatum iniciando período de dormência perdendo folhas
Foto Andrew Fogtman
Catasetum spitzii iniciando período de dormência perdendo folhas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum denticulatum iniciando período de dormência perdendo folhas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum sp. iniciando período de dormência perdendo folhas
Foto  Andrew Fogtman Cultivo: Fatima Marinho
Galeandra chapadensis iniciando período de dormência perdendo folhas
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Cyrtopodium glutiniferum iniciando período de dormência perdendo folhas
Foto Andrew Fogtman

Galeandra chapadensis sem folhas em período de dormência
 Foto Andrew Fogtman

Catasetum piliatum sem folhas em dormência
Foto Andrew Fogtman

Catasetum sp em dormência 
 Foto Andrew Fogtman

Catasetum sp em dormência 
 Foto Andrew Fogtman

 Catasetum sp em dormência 
 Foto Andrew Fogtman

Catasetum sp em dormência
 Foto Andrew Fogtman


  Quanto a floração dos Catasetuns esta pode se apresentar de 3 maneiras básicas portanto, embora ele possa dar flores hermafroditas ele é basicamente uma planta monóica(flores masculinas e femininas separadas e na mesma planta) e os tipos básicos de flores são as Masculinas, as Femininas e pode ocorrer também a flor Hemarfrodita, que normalmente tendem a ser estéreis nesse caso. Existe também essa diferenciação no gênero Cycnoches, entretanto é mais evidente e maior a diferença das flores no caso dos catasetuns e na maioria dos demais gêneros desse grande grupo as flores são hermafroditas mesmo. 
O mecanismo que faz com que ora as plantas dêem flores masculinas e ora dêem flores femininas e hermafrodita, ou as 3 flores na mesma haste ainda não é inteiramente entendido, entretanto de acordo com uma dissertação de mestrado que li e dos relatos dos cultivadores que em geral colocam as plantas em locais com maior intensidade de luz pegando mais horas de sol e também por pegar variações mais bruscas na temperatura o estimulo do estresse á a possível causa que faz com que um Catasetum emita as flores femininas e hermafrodita. Em fim, de acordo com as evidências um Catasetum em sua zona de conforto emitirá flores masculinas e um Catasetum em estresse emitirá flores femininas, hermafroditas ou os 3 tipos de flores. Quanto ao estresse um dos hormônios que são produzidos em maior quantidade nesse período e que geralmente está associado ao processo de senescência, de amadurecimento de frutos e em alguns casos de indução da floração é o etileno, entretanto ainda não se elaborou nenhum método eficiente com aplicação ou por pulverização ou outro método que possa dar etileno aos Catasetuns e muito menos qual seria a dosagem que provocaria a indução das flores femininas, sem prejudicar a orquídea, entretanto isso poderia ser um bom campo para futuras pesquisas. Na prática, o que se tenta fazer mas a eficiência nem sempre é alta é colocar as plantas mais ao sol, que normalmente por excesso de luz pode provocar estresse na planta induzindo a produção de etileno e assim induzindo uma floração feminina, pode-se essa uma resposta natural de sobrevivência da planta na natureza a fim de garantir a perpetuação de sua espécie, mas ainda há muito a estudar neste campo. As flores masculinas geralmente são as flores mais exuberantes da espécie, com mais coloridos, formas e o curioso "dispositivo" que ao menor toque de um inseto polinizador ou um dedo humano dispara as políneas como um tiro. É possível visualizar bem nas flores masculinas uma coluna com a parte da antera bem desenvolvida e sem a parte feminina da flor. Nas flores femininas o aspecto na maior parte das espécies é muito semelhante, geralmente são maiores que as masculinas e possuem uma coloração mais esverdeada, com poucos padrões de colorido e costumam ser invertidas com o labelo voltado para cima em forma de saco, e quanto a coluna ela não apresenta a parte masculina desenvolvida, geralmente sem políneas e polinário e com um estigma bem desenvolvido. o ovário também se apresenta mais desenvolvido do que nas flores masculina e a haste tende a ser mais grossa e com poucas flores, enquanto a haste das masculinas tendem a ser mais finas e pode conter enumeras flores. Já as hermafroditas, tendem a ter um padrão intermediário entre as flores masculinas e femininas e possuem tanto a parte feminina e masculina na coluna, entretanto essas costumam ser estéreis ou de baixa fertilidade. Ainda existem os casos intermediários entre as flores hermafroditas, femininas e masculinas que são mais raros, mas acontecem, fora o fato de ocorrer todos os tipos de flores em uma única haste. Segue agora algumas fotos mostrando as diferenças das flores dos Catasetuns:

detalhe de flores femininas e masculina
Foto Juan Fernández


detalhe de flores femininas
 Foto Juan Fernández


detalhe de flores femininas e masculinas na mesma haste
Foto Juan Fernández



detalhe de flores femininas e masculina Cycnoches
Foto Juan Fernández


detalhe de flor masculina
Foto Juan Fernández


detalhe de flor femininas
Foto Juan Fernández


detalhe de flor femininas
Foto Juan Fernández

detalhe de flor hermafrodita
Foto Juan Fernández

detalhe de hastes de flores masculinas
 Foto Juan Fernández

detalhe de hastes de  flor es femininas
Foto Juan Fernández

Detalhe de uma flor completamente masculina (flor da esquerda em baixo ), flor  masculina com labelo de feminina ( flor do meio) e flor hermafrodita (flor da direita) Catasetum ciliatum
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Nota: a polinização das Catasetíneas, de modo geral é feita por abelhas do grupo das Euglossineas que costumam ir nas flores em busca de um óleo que a flor produz que será usado pelo inseto para atrair parceiras para o acasalamento.

Detalhe de abelha Euglossa com políneas nas costas em Catasetum globiflorum

Detalhe de abelhas Euglossas em Catasetum globflorum 
Foto Andrew Fogtman

Falado dos pontos básicos das Catasetineas e Cyrtopodineas, principalmente dos Catasetuns de modo geral agora vamos falar de alguns pontos importantes do cultivo tanto para os Catasetuns e afins e os Cyrtopodiuns e afins.
Quanto aos Catasetuns e afins, um ponto interessante em relação ao seu cultivo, geralmente é em questão de recipientes, sendo que eles podem ser plantado, assim como diversas orquídeas em vários tipos de recipientes como vasos de plástico, barro, cachepots, vaso pet simples, vaso plástico com reservatório e tronquinhos, placas e pedaço de madeira ou arvore mesmo. Entretanto, como os Catasetuns necessitam de bastante umidade no período de crescimento os preferidos para o cultivo são os vasos de plástico e os pets, com e sem reservatório, entretanto, uma escolha adequada do recipiente para os Catasetuns e afins vai depender de alguns fatores climáticos como variação de temperatura e umidade durante o ano, sendo que em regiões que são quente e úmidas o ano inteiro os vasos de plástico, pets sem reservatório, placas de madeiras e mesmo vaso de barro e cachepots terão ótimos resultados para o cultivo, uma vez que o ambiente é bem favorável para ele o que impedirá que a planta desidrate facilitando as regas. Já para locais em que a temperatura varia mais e a umidade também varia muito com alguns períodos do ano mais secos e outros mais úmidos, embora os demais recipientes possam dar bons resultados, desde que atentados para a rega os recipientes pets com reservatório se fazem uma ótima opção. Quanto aos vasos PETs com reservatório podem ser feitos de várias maneiras, sendo que a mais comum é de cortar uma garrafa PET de refrigerante normalmente pela metade ou mesmo um pouco a cima, sem deixar fica fundo demais e então em suas laterais fazer furos para fazer a drenagem e chegando no fundo não fazer furos até uma certa altura para que fique acumulado um pouco de água que não fica em contato direto com a planta, mas conforme vai evaporando e pelo fenômeno da capilaridade ela mantem o substrato e as raízes das plantas com uma umidade adequada. Outra opção é o que o povo chama de semi-hidroponia que basicamente consiste em uma pet com reservatório bem maior do que o modelo anterior e as plantas são fixadas na parte de cima da garrafa que é cortada e colocada invertida na outra parte e a planta fica ou com quase nada de substrato ou com raíz nua direto na garrafa e o reservatório fica cheio até quase o bico da parte de cima, sempre fornecendo umidade para as raízes que também são regadas regularmente. Esse último jeito de cultivo é mais indicado para os orquidófilos com mais experiência, porem o outro tipo de reservatório é mais simples e de acordo com o clima da região pode-se colocar um reservatório maior ou mais raso. Segue agora algumas fotos de Catasetuns plantados de formas diferentes e a PET reservatório:

Catasetum ciliatum em recipiente de vaso plástico
Foto e cultivoAndrew Fogtman

Catasetum Suzan Fucs x piliatum em vaso de plástico
 Foto e cultivo Andrew Fogtman
Catasetum spitzii em cachepot de madeira
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum globflorum em toco de madeira
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Galeandra chapadensis em casca de peroba
 Foto e cultivo Andrew Fogtman

Catasetum em Vaso PET com reservatório
Foto Andrew Fogtman

Detalhe do reservatório do PET
Quanto a substratos, de modo geral os substratos usados são semelhantes para as demais orquídeas, sendo que Catasetuns apreciam muito a Casca de pinus, que podem ser puras ou misturadas com outros elementos como carvão, brita, chip de coco, entretanto eles não apreciam substratos ácidos, o que faz com que os replantes dessas plantas sejam feitos anualmente ou no máximo de 2 em 2 anos para o caso em que eles estiverem em substrato. No caso da montagem dos reservatórios, pode-se usar a brita até o limite da parte do reservatório que ficara sempre cheia de água, evitando assim apodrecimento de substrato, ou outro material inerte e mais a cima é só preencher com substrato normalmente, sem compactar demais.

Catasetuns e afins são plantas muito rústica, embora possam ter problemas com doenças e pragas, geralmente exigem poucos cuidados, sendo uma planta relativamente simples de ser cultivada, entretanto eles diferente de outras orquídeas que deixamos entouceirar a vontade eles tem a tendência natural de emitir poucas brotações e ficar com um certo número de pseudobulbos maduros sem folhas que em poucos anos vão desidratando e morrendo, o que é ruim porque a planta nunca fica com muitos pseudobulbos, entretanto isso pode ser evitado no momento do replante e isso é mais uma característica interessante desses Catasetuns, que não é muito aplicado para os demais gêneros afins. 

O replante dos Catasetuns de modo geral se dá quando este está saindo da fase de dormência emitindo uma nova brotação e raízes, sendo que para tal se elimina todas as raízes velhas e mortas, pois as raízes dos Catasetuns tendem a ter vida útil curta e uma planta que nunca foi cortada as raízes com o tempo começa a formar uma estrutura de raízes finas chamada de ninho, que tem função de acumular umidade e provavelmente e reter alguma matéria orgânica em decomposição ali no local como um inseto morto que com a decomposição liberará nutrientes e servirá para a nutrição da planta. Muito bom para cultivo em árvores ou em placas, entretanto para vasos e reservatórios pode ser um problema e favorecer o apodrecimento por excesso de umidade. Então após cortar as raízes velhas faz-se o plantio no recipiente devidamente preenchido com substrato e o fixa no vaso e então é só tomar os cuidados padrões para o bom desenvolvimento da planta. Quanto as dificuldades de entouceiramento dos Catasetuns a prática usual para induzir mais brotações na planta é no momento do replante se separa total, ou parcialmente um pseudobulbo do outro que pode ser com um corte parcial da junção deles ou mesmo uma torção ou mesmo separação total e então faz o replante, ou então sem fazer replante quando ele estiver brotando faz se no próprio recipiente a separação total ou parcial dos pseudobulbos da mesma maneira, sendo que está prática deve ser feitas geralmente em pseudobulbos adultos e saudáveis e a grande vantagem disso é que com a separação cada pseudobulbo tende a emitir uma brotação e normalmente costuma florescer facilmente, a menos que o pseudobulbo seja pequeno e com pouca reserva. Devido a essas características os Catasetuns fogem a regra geral de divisão das orquídeas que devem ser de no mínimo 3 pseudobulbos, pois eles são completamente capazes de formar uma muda forte e saudável com apenas um pseudobulbo.  Segue agora algumas fotos sobre este assunto:

 Catasetum replantado com pseudobulbos separados totalmente 
Foto e cultivo Andrew Fogtman
Catasetum replantado com pseudobulbos separados totalmente
Foto e cultivo Andrew Fogtman



detalhe de Catasetuns pronto para ser replantado com as raízes cortadas
 Foto Andrew Fogtman

detalhe de Catasetuns pronto para ser replantado com as raízes cortadas
 Foto Andrew Fogtman

Detalhe do Vaso PET com reservatório
Foto Andrew Fogtman

Detalhe do Vaso PET com reservatório
Foto Andrew Fogtman

Catasetum com pseudobulbos separados parcialmente pronto para o replante.
Foto Andrew Fogtman

Catasetum replantado em PET
Foto Andrew Fogtman

Catasetum replantado em PET
Foto Andrew Fogtman

Catasetum replantado em PET
 Foto Andrew Fogtman

Devido essa Característica dos Catasetuns é bem possível também a recuperação de pseudobulbos mais antigos, e ou com um certo grau de desidratação ou mesmo danificados ou quebrados, pois essas plantas costumam emitir keikes nas partes mais altas dos pseudobulbos, que após entrarem em dormência e iniciarem uma nova brotação podem ser separados, entretanto, nunca separar esses keikes enquanto eles estiverem se desenvolvendo, pois pode acarretar a perda do mesmo, pois eles ainda não possuem reservas para suportar o estresse do replante.

detalhe de um keike saindo no meio do pseudobulbo
A recuperação dos pseudobulbos antigos ou desidratados ou danificados podem ser feitos de várias maneiras com ou sem uso de estimulantes para induzir brotações. Podem ser colocados em um leito de areia ou sobre uma superfície seca, mas com boa ventilação e boa umidade relativa do ar e em local com luminosidade adequada sem pegar sol direto e deixar lá sem necessidade de ficar regando até que inicie as brotações e enraizamento. Geralmente esses pseudobulbos são colocados deitados, o que ajuda a estimular a brotação das gemas laterais. Essa característica de formação de keike é comum para as plantas dos gêneros afins e também dos Cyrtopodiuns e afins. Segue agora mais umas fotos mostrando a recuperação de pseudobulbos de Cyrtopodiuns:

Recuperação de pseudobulbos de Cyrtopodiuns em bancada e em leito de areia
Foto Andrew Fogtman




Detalhe da brotação dos keikes
Foto Andrew Fogtman

Detalhe do Keike enraizando em pseudobulbo de Cyrtopodium
Foto Andrew Fogtman



Detalhe do Keike enraizando em pseudobulbo de Cyrtopodium
 Foto Andrew Fogtman

Detalhe do Keike enraizando em pseudobulbo de Cyrtopodium
Foto Andrew Fogtman

Detalhe de vários keikes em pseudobulbo de Cyrtopodium



Detalhe da bancada em experimento realizado na Universidade Federal de Viçosa em 2010 Foto Andrew Fogtman

Nota: de modo geral os Catasetuns e afins e Cyrtopodiuns e afins possuem cultivos bem fáceis, devido a grande rusticidade dessas plantas, entretanto, existem algumas espécies, como alguns Cyrtopodiuns que vegetam em áreas de brejos ou próximos a brejos e algumas espécies de Galeandras e Mormodes e o Catasetum longifolium que possuem cultivos bem complicados, que posteriormente serão discutidos em uma postagem a parte sobre "cultivo de plantas enjoadas 2".

Quanto aos Cyrtopodiuns e afins, a grande diferença em relação ao cultivo para as Catasetineas é que a grande parte deles são terrestres, com alguns que são rupícolas e um pequeno grupo epífita e a grande maioria deles são plantas de pleno sol, com algumas poucas espécies que preferem luminosidade intermediária.
Quanto ao substratos para os Cyrtopodiuns de modo geral deve-se tentar imitar o ambiente em que a planta vegeta na natureza tentando produzir um substrato que seja o mais próximo possível ao encontrado na natureza. Muitos por serem terrestres podem ser plantados no próprio jardim a pleno sol, desde que se prepare a terra adequadamente para que fique leve, com bastante matéria orgânica e bem drenada e para o caso dos rupícolas também pode-se plantar em jardim a pleno sol fazendo uma mistura que tenha pedras britas com um substrato entre elas mais arenoso e com matéria orgânica dando inclusive a possibilidade de se fazer um belo arranjo que imita o ambiente natural dele. também é possível o cultivo em recipientes, entretanto como boa parte deles são plantas de grande porte os recipientes devem ser usados de acordo com o tamanho da planta e o substrato sempre de acordo com as exigências da planta e sempre bem drenados.
Quanto a ao replante e a divisão de pseudobulbos, eles até aceitam bem se dividir mudas com apenas 1 pseudobulbo, entretanto pode acontecer da planta não florir no próximo ano, porém a recuperação da mesma é rápida e vigorosa. Cyrtopodiuns diferente de Catasetuns toleram um maior período sem ser replantados e não tem a necessidade de ficar separando os pseudobulbos, pois eles tem uma tendência natural de emitir várias brotações laterais ao longo do tempo formando belas touceiras em pouco tempo.
Segue agora algumas fotos de Cyrtopodiuns:

Cyrtopodium glutiniferum em jardim plantado em brita com pouco de terra com matéria orgânica e areia
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Cyrtopodium glutiniferum em jardim plantado em brita com pouco de terra com matéria orgânica e areia
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Cyrtopodium poliphyllum em vaso plástico com terra vegetal
Foto e cultivo Andrew Fogtman

Cyrtopodium glutiniferum em vaso com pedras grandes e uma fenda com substrato de areia, terra vegetal e terra de barranco Foto Andrew Fogtman
Cyrtopodium de brejo com substrato constantemente encharcado e reservatório com brita e água até quase tocar o fundo do vaso (assunto para postagem de "Plantas Enjoadas 2" )

Nota: quanto mais simples for o cultivo dessas plantas maior são as chances de sucesso com estas, pois são plantas bastante selvagens e atendendo as exigências mínimas de ambiente deles e completando com a adubação e rega adequada serão plantas que sempre darão espetáculo em um jardim com belas folhagens e belas flores!

Quanto a pragas e doenças das Catasetíneas e afins são de modo geral plantas bem tolerantes as diversas moléstias e pragas que atacam orquídeas, entretanto os ácaros são considerados a praga principal deste grupo e o monitoramento desta praga é sempre muito importante, pois um ataque de ácaro pode em alguns casos até atrasar a queda de folhas natural dessas plantas e então essas folhas atacadas antigas serem focos que podem transmitir para as novas brotações, portanto notado as lesões características de ataque de ácaros como folhas raspadas, aspecto bronzeado, prateado e ranhuras é necessário tomar medidas de controles adequadas. Quanto a doenças as mais comuns são as manchas foliares causada por um grande número de patógenos como os causadores da Phoma, da Cercosporiose, da Antracnose e outras e também as podridões de pseudobulbos, muito comum ser provocadas por Bactérias e fungos. O manejo dessas doenças começa com um ambiente adequado evitando que as plantas fiquem expostas a chuva cultivando em orquidários protegidos ou ambientes adequados que tenham uma certa proteção contra chuva e tomando cuidados com os excessos na rega, podendo -se fazer aplicação no período de dormência das plantas de Calda bordalesa para prevenção das doenças.
Quanto aos Cyrtopodiuns estes costumam ser mais tolerantes ainda a essas pragas e doenças até por serem em geral plantas que vegetam em ambiente aberto a pleno sol estes tem maior tolerância a chuva e geralmente demonstram poucos problemas em relação a pragas e doenças e assim como os Catasetuns pode-se no período de dormência aplicar calda bordalesa para prevenção de doenças e notando presença de pragas fazer o controle adequado delas, embora isso seja relativamente bem raro.

Antracnose atacando ponta de folha causando necrose Foto Andrew Fogtman


Em fim gente era isso que eu tinha a dizer por enquanto sobre essas plantas, pois é um grupo de plantas que inclusive eu tenho ainda muito que aprender pois é um grupo magnífico e desafiador para nosso cultivo e com certeza isso vale muito a pena! Coloquei aqui informações gerais sobre o cultivo dessas plantas, entretanto deixarei alguns materiais disponíveis para quem quiser se aprofundar mais nesse grupo de plantas e também deixarei o link de uma comunidade do Facebook específica deste grupo de plantas onde existem muitos cultivadores experientes e um bom número de informação que ajudará muito a todos que estão iniciando os cultivos destas magníficas orquídeas. Até a próxima pessoal!!!

Vídeo:
                                                                 Abelhas euglossíneas

                                              Fases do Desenvolvimento dos Catasetuns
                                                          Dica rápida de replante














Grupo Loucos por Orquídeas do Facebook

Agradecimentos a Juan Fernández por permitir a utilização de algumas de suas fotos para enriquecimento do conteúdo da postagem.

34 comentários:

  1. ANDREW, PARABÉNS PELO BELO TRABALHO.
    TAMBÉM SOU AMANTE DESTAS BELEZURAS.
    GOSTARIA DE LHE PERGUNTAR SE VOCÊ CONHECE ALGUM HÍBRIDO ENTRE CATASSETÍNEAS E CYRTOPODIUM?
    GRATO, ABRAÇOS
    RICARDO EVANGELISTA
    SÃO VICENTE - SP

    ResponderExcluir
  2. Bom recebi um comentário mais cedo postado por Ricardo Evangelista, entretanto o comentário sumiu, mas deixarei a resposta assim mesmo.

    Olá infelizmente ainda não existe ou não foi possível fazer híbridos de Catasetuns e Cyrtopodiuns, pelo menos no RHS não existe nenhum tipo de registro entre essas 2 plantas. Embora Catasetuns e Cyrtopodiuns sejam de substribos diferentes existe o cruzamento entre Galeandras e Catasetuns dando Catasandra e existem outras possibilidades também que ainda precisam ser mais estudadas É um ótimo ramo para quem tem interesse por produzir novos híbridos de orquídeas vale a pena!!

    ResponderExcluir
  3. eu gostaria de fazer um orquidário como faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá! Bom tem uma matéria que dão noções básicas de construção de orquidário na postagem de construção de orquidários que se encontra nesse link aqui: http://orquideassemmisterio.blogspot.com.br/2011/06/preciso-construir-meu-orquidarioe-agora.html

      e outra matéria falando sobre cutivo em outros ambientes que está nesse link aqui.
      http://orquideassemmisterio.blogspot.com.br/2011/06/ambientes-internos-e-possivel-utilizar.html

      persistindo as dúvidas é só entrar em contato que terei o prazer em responder! Abraços até a próxima!!

      Excluir
  4. Olá Andrew,adorei sua materia e acabei criando coragem para replantar meu Catasetum(híbrido),soltou um novo bulbo e utilizei a técnica da pet invertida,vamos aguardar para ver como reage,tenho outro igual,também com broto menor ,que não fiz nada,fica como reserva.Deois comento como está sendo o seu desenvolvimento.]Abçs,
    Sonia Maria

    ResponderExcluir
  5. Andrew, seu Blog está maravilhoso, parabéns!!! Ainda não li todo o conteúdo, mas já estou conseguindo tirar muitas dúvidas. Conheci vc pelo facebook, e só agora é que vi seu blog. Sempre que precisar darei uma passadinha por aqui. Adorei esta matéria sobre catasetums e cyrtopodiums!! Abraços e continue a nos ensinar e que Deus lhe proteja e ilumine sempre!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Sandra e Obrigado pela visita e já sabe precisando é só chamar!

      Excluir
  6. Boa noite,
    Poderia me informar seu email para mim enviar umas fotos de orquideas, para classificar para mi?
    Grato
    Rogério

    ResponderExcluir
  7. ADOREI TUDO QUE LI,TÁ DE PARABÉNS .

    ResponderExcluir
  8. Poderia identificar esta orquídea, por favor e explicar como planto? Terra ou substrato?
    Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sandra! A demora em responder foi devido as férias de fim de ano e Janeiro do Orquídeas Sem Mistério, mas agora estou de volta com as atividades e as perguntas serão respondidas semanalmente.
      Teria como enviar foto da planta em questão para o e-mail do Blog: orquideassemmisterio@mail.com
      Se ainda tiver interesse fico no aguardo.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  9. Olá pessoal, a verdade é que a maior parte das orquídeas acaba morrendo ou não dando flores por causa de erros bastante simples do cultivador, mas eu descobri um método para transformar as orquideas do seu jardim em orquideas lindas de exposição. Com alguns segredinhos e seguindo um passo-a-passo elas ficam lindas, quem se interessar me mande um e-mail que eu explico direitinho: julianoqui@inglesaulas.com

    ResponderExcluir
  10. Parabéns!!! Um material muito bom e bem feito. Vou iniciar o cultivo e será muito útil.

    ResponderExcluir
  11. boa tarde amigo,cultivo orquideas ha uns 10 anos e me deparei agora com uma questao em relação aos catasetum, trabalho com reflorestamento e fazendo uma visita de campo encontrei varias touceiras de catasetum que estao em dormencia mais tera que ser retirado do local póis nasceu no meio das ruas de eucaliptos e as maquinas vão passar no proximo mes como devo proceder.

    abços

    sergio

    ResponderExcluir
  12. continuando Andrew os catasetum nasceram sobre a madeira podre do solo e folhas em um terreno arenoso o local e no litoral norte da bahia, como ele ja floriu eu nao sei a espeçie.

    abços

    sergio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sérgio! Primeiramente um feliz 2016 para você e toda família!
      Não tive como responder antes, mas olha, felizmente os Catasetuns são plantas muito rústicas e sabem esperar e mesmo na dormência você pode fazer a divisão dos bulbos e replantar, alias você pode dividir bem as toupeiras até em um único bulbo e espalhar por árvores altas com copas bem espaçadas que entre bastante luz ou mesmo em coqueiros e palmeiras, que são locais comuns de ocorrência dessas plantas. Você também pode plantar eles em vasos comuns ou em vasos feito de garrafa pet, caso queira ter alguns em cultivo. O ideal para o replante é quando começa a brotar mas você pode fazer a divisão limpeza e replante dos bulbos na dormência que também da certo. A divisão da toupeiras estimula que bulbos antigos brotem favorecendo a planta e você pode usar isso para espalhar os bulbos em uma área maior.
      Podes fazer o replante nas árvores e palmeiras com eles em dormência mesmo é só amarrar eles bem firme com um material que demore pelo menos uns 6 meses a 1 ano para degradar.
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo dúvida é só perguntar.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
    2. Agora uma dúvida: São Catasetuns mesmo ou Cyrtopodiuns? Os Cyrtopodiuns são mais comuns de ocorrerem no chão, já os Catasetuns são geralmente epífitos, embora exista alguns terrestres, como o discolor, que é provável que ocorra nessa região. Envie fotos dos bulbos para o e-mail para ver melhor. Forte abraço!

      Excluir
  13. Boa tarde. Muito boas as informações que o Sr. colocou aqui. Minha dúvida é que a minha planta Cyrtopodium já emitiu duas hastes florais depois que está comigo, vindas da base da planta. Ocorre que este mês ela emitiu uma haste a partir da ponta do pseudo bulbo e está abrindo as flores. Isso é um acontecimento comum nos Cyrtopodium? É exclusivo de alguma de suas espécies?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alcides! Então geralmente esse fenômeno ocorre quando se trata de cyrtopodiuns mais jovens e também se os bulbos estiverem muito sombreado podendo provocar distúrbios em seu desenvolvimento e até o não florescimento da planta.

      Excluir
  14. Parabéns. Vc e o cara������ estou começando o cultivo de orquídea. Por termozia toda orquídea. Que ganhava. Morria. E havias muitas perguntas e respista desemcontrada..mas deparei com seu .blog. Amaei hoje ja faz os meus proprios cachepo. E to cada vez mas empenhada em aprender a cuida de diversa. Especies. Como faso pra sempre que eu teriv duvidas sobre. Como cuidar e o nome pra te mostra se assim vc puder..claro sem incomodar..por exemplo. Como façi pra reconhecer. A diferença da cyrtopodiuns pra uma catasetuns..e cirbidium bg. Bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria! você sempre que precisar pode entrar em contato por e-mail ( orquideassemmisterio@gmail.com ou whatsapp: 21 976201063 ) e caso precise de consultoria, assistência e ensino também é só entrar em contato.
      Forte abraço e estou a disposição.

      Excluir
  15. Parabéns pelo excelente trabalho publicado aqui e por compartilhar conosco seus conhecimentos no cultivo. Tenho somente catasetum, galeandra e mormodes, todos nativos aqui de Rondônia divisa com a Bolívia. A dificuldade agora é identificar as plantas...obrigado mais uma vez.

    ResponderExcluir
  16. Bela matéria, muito explicativa e ilustrada. Parabens.

    ResponderExcluir
  17. parabens pelo seu lindo trabalho amigo muito bom mesmo eu ja tenho ums 100 catacetum e pretendo chegar nos mil logo e com a suas dicas sei ke n vou perder mais nd obrigado esse e meu imail liodessimo@gmail.com despois me passa o seu se for pocivem obrigado ke deus te abencoe sempre,,

    ResponderExcluir
  18. Parabéns, seu blog é muito bom! Gostei muito de catasetum, você mostra uma grande variedade, pena que aqui em Salvador-BA só existe uma especie que é muito comum nos jardins e praças. Sucesso!!!

    ResponderExcluir