-->

Leia antes de iniciar a a leitura no Orquídeas Sem Mistério!

Tutorial do Blog Orquídeas Sem Mistério.

Olá Pessoal!! Estou agora atualizando o Tutorial deste blog, uma vez que ocorreram algumas mudanças em sua funcionalidade tornando o mais pr...

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Replantio e transplantio de orquídeas - a essência do cultivo de orquídeas.



Olá pessoal! Venho aqui agora com uma postagem que entrará para o ciclo básico do cultivo de orquídeas que é o referente ao assunto replante e transplante de orquídeas. Digo que o replantio é a essência do cultivo de orquídea, pois é se não a operação mais importante para a manutenção das plantas, uma das operações mais importante e a diferença entre sucesso e fracasso no cultivo de orquídeas está na qualidade da execução do replante ou transplante.

Replantio ou transplantio basicamente é o ato de transferir uma planta de um recipiente ao outro e isso é feito geralmente pelos seguintes motivos:
  1. a planta não cabe mais no vaso
  2. o substrato está muito velho
  3. a planta está com desenvolvimento inadequado dentro do recipiente utilizado
  4. o vaso caiu e quebrou
  5. transplante de vasos coletivos para vasos individuais
  6. doenças do tipo podridões

Então pessoal após levantado os principais motivos pelos quais são feito os replantes pode-se notar a importância que este tem para o cultivo das nossas belas orquídeas, sendo assim vamos aprofundar um pouco mais sobre este assunto e abordar alguns pontos para que todos vocês possam ter sucesso e proceder os replantes de forma correta, na época correta e nos recipientes mais adequados para cada planta.

Para entendermos como funciona o replante é importante primeiro termos uma boa noção do tipo de recipientes e substratos que nossas plantas são plantados, de acordo com o tipo de orquídea e seu habito de crescimento, ou seja, se ela é terrestre, rupícola ou epífita, se é monopodial ou simpodial. O ambiente em que nossas plantas são cultivados também interfere muito na escolha do recipiente, dependendo como é o comportamento da umidade, da ventilação, da iluminação e o seu tempo disponível para o cultivo.

Para mais detalhes sobre substratos e recipientes e suas principais características cliquem aqui!

Entendido sobre os recipientes e substratos passamos para o momento do replante. O replante deve ser feito de acordo com os motivos levantados no início do post, mas para isso é importante respeitar os períodos de atividade da planta sempre que possível, ou seja geralmente o replante deve ser feito quando a planta está emitindo principalmente raízes novas, o que é variável de acordo com as espécies cultivadas, pois replantando nestes períodos geralmente o estresse gerado na planta tende a ser menor, pois o tempo de recuperação é bem mais rápido, do que quando se replanta em uma época inadequada. Salvando em casos emergenciais como podridões a época deve ser sempre respeitada.

O Outro ponto importante é que os replantes ou transplantes podem ser divididos por tipos e assim podemos enumerar alguns da seguinte maneira:

  1. replante do tipo clássico em recipientes tipo vasos
  2. replante em cachepot de madeira simples
  3. replante em sistema acoplado
  4. replante em tocos, placas ripas de madeira ou árvores vivas
  5. replante de terrestres
  6. replante de keikes e mudas tiradas de coletivos

NOTA: para todo e qualquer replante, salve algumas exceções o tamanho dos recipientes devem ser sempre proporcional ao tamanho da orquídea, ou seja, a orquídea deve ter no máximo 2/3 do tamanho recipiente garantindo assim espaço adequado para um crescimento de uns 2 a 3 anos da planta naquele recipiente, que é o tempo de durabilidade de boa parte dos substratos. Essa regra se aplica principalmente ao replante clássico, mas se aplica também às demais categorias de replantes.
Vejam agora algumas fotos dos tipos de cultivo em que as plantas podem ser replantadas e como elas não devem ser replantadas:

Cultivo clássico em vaso

Cultivo clássico em vaso

Cultivo em Cachepot de madeira

Cultivo em sistema acoplado

Cultivo em sistema acoplado

Cultivo em placa de madeira

Cultivo em árvore viva (como as epífitas vivem na natureza)

cultivo especial no chão e imitando o ambiente de ocorrência desta planta
Cultivo de keikes do tipo terrestre tipo Arundina

Cultivo de keikes do tipo terrestre tipo Arundina

Forma inadequada de replante: pseudobulbos enterrados e vaso grande demais para o tamanho da planta
Foto de Andreia Regina Pereira


Após falar dos pontos importantes e tipos de replantes agora vamos de fato falar sobre o procedimento.
Uma vez nossa planta estando na hora de replantar devemos então proceder da seguinte maneira:

Primeiro passo: geralmente se remove a planta do vaso antigo,  caso as raízes estejam muito ruim e/ou substrato muito velho.Faz-se a limpeza e remoção das raízes mortas removendo todo substrato velho e lavando bem para tirar toda sujeira. Isto tudo usando uma ferramenta esterilizada para tal fim. Caso o substrato esteja bom e as raízes muito boas e o vaso não cabe mais, pode-se tirar a planta sem desfazer o torrão de substrato e apenas passar para um vaso maior e completar o restante, ou colocar um vaso dentro do outro e completar com substrato, para estes casos específicos.

Planta com substrato velho e pulando fora do vaso com raízes e brotos novos no ponto de ser replantada

Planta com substrato velho e pulando fora do vaso com raízes e brotos novos no ponto de ser replantada


tirando a planta do vaso notem as raízes em volta do substrato boas e no interior todas morta

tirando a planta do vaso notem as raízes em volta do substrato boas e no interior todas morta

tirando a planta do vaso notem as raízes em volta do substrato boas e no interior todas morta

tirando a planta do vaso notem as raízes em volta do substrato boas e no interior todas morta

tirando a planta do vaso notem as raízes em volta do substrato boas e no interior todas morta

tirando a planta do vaso notem as raízes em volta do substrato boas e no interior todas morta

limpando as raízes mortas e removendo substrato velho

lavando

detalhe da planta limpa pronta para o replante

detalhe da planta limpa pronta para o replante

Dica: Quando for remover a planta molhe ela com vontade para as raízes absorverem água e assim se soltarem com facilidade e ficarem mais flexível diminuindo assim as quebras das raízes boas.

Dica:  pode-se usar um minimaçarico ou outra fonte de chama para esteriliza a ferramenta de corte

esterilizando a tesoura com minimaçarico

esterilizando a tesoura com minimaçarico


Segundo passo:  preparar o recipiente para o replante, seja um vaso, um cachepot, uma placa. No caso de ser um vaso usado, seja de plástico ou barro primeiramente lave-o muito bem e deixe-o de molho em uma água com um pouco de água sanitária(kiboa candida ) para matar qualquer possível patógeno que possa está aderido ao vaso. Em seguida enxágüe-o bem e coloque no fundo uma camada de algum material inerte que pode ser, cacos de vaso de barro antigo e limpo, cacos de telha, tijolos, britas, isopor para servir de dreno. Coloque em torno de uns 2 dedos de dreno no vaso.

esterilizando vaso usado em água sanitária e o dreno também


preparando para o replante

colocando o dreno no fundo do vaso

Nota: Evite usar vasos fundos para o plantio de orquídeas, vasos tipo cartola ou vasos fundos e largos demais, pois em vasos muito fundo e largos pode formar um ambiente muito abafado e neste tipo de ambiente abafado pode favorecer o excesso de umidade o que poderia sufocar as raízes por falta de ar e assim a planta logo ficaria sem raízes e assim com sintomas de desidratação e deficiência nutricional, por mais que se regasse e adubasse.

Nota:  no caso do plantio em cachepots geralmente não é necessário a camada de dreno, uma vez que os mesmos são vazados de todos os lados.

Terceiro passo: Com o vaso pronto e o dreno colocado é hora de colocar o substrato e após colocar o um tanto adequado de substrato a planta deve ser acomodada de tal forma que seus brotos e raízes novas fiquem com espaço para crescer dentro do vaso, para isso se a planta tiver um crescimento mais linear ou pouco ramificado, deve-se colocar sua traseira encostada em uma das extremidades do recipiente, mas se a planta tiver um crescimento mais cespitoso ( em forma de cesta ) crescendo com frente para todos os lados ou se for muda nova que acabou de sair de um coletivo ela pode ser posicionada no centro do vaso para que todas as frentes tenham espaço dentro do vaso para crescerem e enraizarem. No caso de monopodiais como Phalaenopsis também pode-se fazer o plantio no centro do recipiente.
após acomodada complete com substrato até atingir o rizoma da planta sem enterrar os pseudobulbos e a firme bem no vaso. Pode-se utilizar tutores (vejam matéria sobre tutoramento no blog ) amarração com arame no próprio vaso para firmar a planta, lembrando que este é um dos pontos mais importantes do replante, pois se a planta ficar bamba no vaso ela pode não conseguir enraizar direito e então começar a definhar até morrer. Finalmente faça uma rega e depois pode-se colocar canela em pó no substrato para prevenção de doenças.

Colocando substrato

Acomodando a planta

Detalhe da traseira da planta encostada em uma das extremidades 


Detalhe das frentes com espaço para crescer no vaso e ligeiramente levantadas

Detalhe das frentes com espaço para crescer no vaso e ligeiramente levantadas

completando substrato

terminando de fixar no vaso com arame ao vaso

planta plantada e canela em pó colocada

planta plantada

detalhe do replante de uma Phalaenopsis presa a um tutor

detalhe do vaso da Phalaenopsis e dela plantada presa ao tutor

detalhe da Phalaenopsis plantada no centro do vaso

detalhe do plantio de planta de crescimento cespitoso no centro do vaso

detalhe do plantio de planta de crescimento cespitoso no centro do vaso

Dica: para muitas plantas que possuem comportamento de levantar o rizoma conforme vão crescendo é interessante planta-las com a frente levantada e mesmo para as que não apresentam este comportamento este tipo de plantio tem sido feito com muito sucesso.

Quando o replante se faz em um sistema acoplado, placa ou árvore viva aí entra em cena um material que será utilizado para amarrar a planta a placa. De preferência utilizar materiais macios como barbantes, fitilhos plásticos ou outro material adequado para amarrar que não machuque a planta e assim geralmente se amarra a planta em uma posição na placa que ela tenha bastante espaço para crescer pela placa depois. No caso dos sistemas acoplados a planta pode ser plantada no substrato com a frente voltada para a direção da placa, ou ela pode ser amarrada parcialmente na placa pela frente e a traseira livre pode ser acomodada e fixada no substrato e no caso de árvores vivas deve ser bem amarrada e em uma posição da árvore adequada que ela pegue boa quantidade de luz e umidade.

planta amarrada na placa de modo que tem espaço para ela crescer. Amarrada com fitilho plástico

sistema acoplado com a traseira da planta na base do acoplado

planta no sistema acoplado com a traseira no substrato

planta em sistema acoplado com a traseira no substrato

planta amarrada na árvore viva

No caso quando se trata de replante de keikes, geralmente estes podem ser replantados em recipientes ou placas ou mesmo árvores ou no chão, dependendo qual for a espécie, mas no caso de plantio em recipientes geralmente eles são plantados em recipientes bem pequenos, muitas vezes recipientes temporários, principalmente quando se trata de keikes de orquídeas terrestres como as do tipo Arundina ou orquídea bambu. O replante dos keikes é semelhante aos demais, sendo que eles geralmente são plantados no centro do recipiente e para o caso de plantio de keikes de arundina ou outra terrestre de crescimento rápido eles podem ser replantados em sacos para mudas sem necessidade da utilização do dreno. Keikes são os filhotes que nascem ao longo dos pseudobulbos ou hastes florais das orquídeas e eles são copias da planta mãe contendo pseudobulbo ou haste, folhas, raízes, até flores e cápsulas.

No caso de replante de orquídeas terrestres, dependendo do tipo de orquídea elas podem ser plantas em vasos bem maiores, como por exemplo as Arundinas que possuem raízes um pouco mais profundas e podem ser plantadas em terra, ou seguindo a regra para as demais orquídeas. Para o caso de cultivo ao chão o cultivo dessas orquídeas se assemelha ao cultivo de hortaliças, sendo muitas vezes aconselhável o levantamento de canteiros com solo bem fofo. Para este cultivo vale a pena antes pesquisar sobre as orquídeas que mais se adequam a esse sistema de cultivo.

Keikes de Epidendrum sp.

Keikes de Epidendrum sp.


Keike de Arundina


Plantio de keike de Arundina


plantio de terrestre em recipiente convencional

cultivo de terrestre ao chão
Dica geral: Antes de recolocar a planta no recipiente novo ou replantar na placa pode se preferir deixa-la um pouco com a base de molho em um enraizador ou vitamina b1 para desestressar e estimular a planta a enraizar de acordo com a necessidade.

Bom pessoal é isso! Espero que tenham gostado da postagem e como sempre, tendo mais dúvidas é só entrarem em contato, através dos comentários ou pelo e-mail do blog que terei prazer em responder. Deixarei aqui um link sobre enraizamento de orquídeas do grupo Cattleya para quem quiser complementar a leitura e até a próxima pessoal fui....!

68 comentários:

  1. Ótima matéria, melhor ainda foram as ilustrações .
    Obrigada e abraços

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelas dicas são todas otimas ainda mais para quem esta começando o cultivo rsrs

    ResponderExcluir
  3. Tenho uma matéria sobre orquideas para o seu blog. Precisava que me mandasse um e-mail que eu responderia com a matéria e as fotos nele. O meu e-mail é renatoxb@hotmail.com

    Att. Renato

    ResponderExcluir
  4. Nossa, eu amo seus posts andrew, parabens! eu tenho uma Phal q ganhei há um ano e meio. Ela nao para de florir desde q a ganhei, chegando a dar floradas sucessivas de 40 flores. O substrato é só de casca de pinus. Acho q ele está meio seco, sem graça. Adubo ela regularmente, e seu crescimento está estavel. Será preciso replanta-la??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Se a planta está be, enraizando bem sem muitas raízes mortas e se o substrato se mantém íntegro você é melhor não mexer ainda. Continue como está, mas vá observando e ao primeiro sinal que vai querer desandar aí sim você mexe certo?

      Forte abraço e uma ótima semana!

      Excluir
  5. Andrew gostei muito do seu passo a passo do replante da cattleya, mas queria saber qual o substrato que vc usou. Pela foto vi pedaços pequenos de carvão o outro parece casca mas não sei de que. Podia dizer? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ollá! Essa é a casca de macadâmia. Eu já comprei esse substrato pronto e higienizado então era apenas usar. Ele já vem misturado com carvão e segura uma boa umidade e também mantem uma boa drenagem e ventilação, durando mais que o pinus até.

      Excluir
  6. E ia esquecendo, essa tal cada retém muita umidade? Como é feita a higienização dela?

    ResponderExcluir
  7. quis dizer "casca" e não cada

    ResponderExcluir
  8. a quem interressar fazemos este tipo de serviços na residencia, reformamos todo o seu orquidario, qualquer duvida ligar Orquidario Aguapé (16) 99134 3261 Nancy

    ResponderExcluir
  9. Olá...amei seu blog, limpo e claro!
    Eu achei uma orquidea no lixo da vizinha :(
    triste né?...só que não tenho habilidade com tal plantinha, mesmo assim, levei-a pra casa e estou cuidando dela...tinha 2 folhas uma de cada lado,largas, aprox.2 dedos de larg. e uma haste seca que cortei. Tirei do vaso com pedrinhas e pedaços de bucha e algumas raizes podres e outras secas...limpei o que achei que podia e replantei numa casca de côco sêco partida no meio.Só que eu não sabia q as raizes iam penetrar na casca rsrsrs Nunca adubei pois não sei o que usar. Só molho ela a cada 2 dias e as raìzes estão enormes,vazando toda a casca.as folhas agora são tres pares, mas sempre que vem nascendo folha nova, a antiga amarela e morre. me ajuda a cuidar dela e a identificar? por favor! Já está comigo a 2 anos e nada de flores :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ismalia! é realmente chato como que alguem joga uma planta fora assim, mas você fez bem em resgata-la. Bom essa casca de coco seca bem curtida funciona bem mesmo e como ela está bem continue com os cuidados que está tendo, mas recomendo para você que tem apenas essa planta que compre o adubo Biofert Orquídeas que é um adubo bem completo para orquídeas e bom para quem tem pouca planta. Você pode comprar o pronto uso que já está pronto para usar ou o concentrado que você dilui conforme a recomendação do fabricante e aplica semanalmente ou quinzenalmente principalmente nas raízes da planta.
      Bom espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato novamente. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  10. Procurando sobre replantio de orquídeas me deparei com seu blog, aprovei e já estou t seguindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tendo qualquer dúvida é só entrar em contato ou por comentário ou pelo e-mail do blog que terei o prazer em ajudar. Bom cultivo!

      Excluir
  11. Caro amigo, aprendo muito com suas materias no blog e também no YahooGrupos, peço sua ajuda, estou retirando dos vidros minhas primeiras germinações in vitro phaleanopsis e cattleyas, mas não estou acertando no replantio.. Estou utilizando sfagno e adubando 1 vez por semana com peters 28x10x10, mas tenho perdido na media de 50% das mudas,...
    Um abraço
    Marcelo Fogaça - Sorocaba SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcelo! De fato está primeira fase pode ser uma fase bem delicada dependendo das condições e um dos principais fatores que geram perdas é a umidade. No início elas são muito sensíveis e desidratam com extrema facilidade, portanto é fundamental que o ambiente em que elas estão tenha um bom sombreamento, geralmente bem maior que para plantas adultas e boa umidade e ventilação. Ambientes muito seco fazem elas desidratarem muito facilmente mesmo com regas mais frequentes e costumam aumentar a taxa de perda. Outro ponto importante é as regas é fundamental evitar que o substrato fique excessivamente seco, mas também evitar o encharcamento do sfagnum. Tente sempre utilizar recipientes baixos ou com uma drenagem bem eficientes como as bandejas e vasos de barro baixos ou outros recipientes baixos. Outra questão importante é as doenças O monitoramento é muito importante e uma das grandes causas de perda nessa fase são doenças causadas por phitium e phitophtora que podem apodrecer facilmente as plantas principalmente com o substrato muito encharcado, então pulverizações preventivas com fungicidas adequados sejam interessante de acordo com a necessidade. ë interessante e fundamental tbm que se tenha uma nutrição completa e balanceada então além da adubação é fundamental que se tenha uma fonte de cálcio aplicado adequadamente nas dosagens certas para melhorar o desenvolvimento das plantas e torná-las mais fortes.

      Bom espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato novamente. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
    2. Recomendo também dar uma lida na matéria do blog sobre pré cultivo que fala sobre os coletivos e seu cultivo.

      http://orquideassemmisterio.blogspot.com.br/2012/12/pre-cultivo-de-orquideas-e-hora-de.html

      Excluir
  12. muito obrigado estou aprendendo muito estou começando agora a maior dificuldade e de saber o melhor lugar pra elas ,como replantar, conhecendo e respeitando caracteritica de cada uma delas , eu estou com 10 orquideas sendo 4 mudas novas, todas eu comprei mas a maioria das pessoas quando vende não dão muita informação de como cuidar eu as vezes fico aflita por não saber o que fazer pois eu gosto muito delas são minhas filhas adorada ,eu pretendo comprar mais mas antes quero aprender como cuidar para não perder nenhuma muito obrigado pela sua ajuda

    ResponderExcluir
  13. Oi Andrew!

    Aqui uma mineira transplantada para a Alemanha...

    Eu só tenho Phalaenopsis, quase todas brancas... meio monótono, mas eu adoro. Eu as chamo de orquídeas Moon-Ha (dos Thundercats, lembra?) porque eu tenho "mão boa" com elas, traduzindo, porque ainda não consegui matá-las e elas dão flores todos os anos, muito bonito tudo. Até tenho o adubo aqui em casa, mas acho que desde 2009 nunca dei... Elas são Moon-Ha mesmo!

    Agora finalmente à minha pergunta: a maior de todas as plantas está ainda no vaso que veio, de uns 17-18 cm de diâmetro, lançando raízes pra todos os lados, bem longas. Preciso arrumar um vaso aonde todas estas raízes caibam confortavelmente dentro? Direto de um vaso de 17-18 cm para um de uns 35 cm de diâmetro? Ou o que eu faço?

    Mais uma pergunta: ganhei uma planta que de cara eu vejo que são três amassadas também num vaso destes de 17-18 cm. Posso separá-las? Devo? De todas estas são as que menos dão flores.

    Obrigada e parabéns pelo blog, super informativo e bem escrito! Com a sua ajuda vou cuidar bem melhor das minhas orquídeas!

    Abraço de Munique,

    Renata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Renata! Bom as Orquídeas de modo geral não gostam de vasos grandes, pois estes acumulam muita umidade e a ventilação no substrato é baixissima. Recomenda-se sempre usar os vasos mais apertados possível, proporcional ao tamanho da planta. Raízes para fora do vaso não é problema e sim solução, elas adoram e não se deve tentar por para dentro dos vasos. No caso de Phalaenopsis os vasos ficam de fato nestas medidas que você citou, não é recomendado plantar em vasos grandes de maneira alguma e quando for necessário fazer algum replante, caso queira separar uma touceira faça isso no verão que é a época mais indicada e use vasos proporcionais ao tamanho das plantas para que elas não tenham problemas, usando substrato adequado e novo.
      O resto é regas e adubação adequada para um bom cultivo e curtir as florações.

      Bom, espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só perguntar.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  14. Ola qerido andrew li toda a postagem mas tenho 1duvida como sei qal é a frente d 1 planta ou keike ? E aproveitando qanto ao fertilizante forth orquideas pronto uso q tanto coloco nas plantas ja q é spray ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elisabete! A demora em responder foi devido as férias de fim de ano e Janeiro do Blog. Agora com o retorno das atividades responderei semanalmente.
      A frente da planta é sempre a região onde ocorre a brotação nova fornando um caminhamento do rizoma e seus bulbos anteriores. Quando existe 2 ou mais brotações simultâneas dizemos que tem 2 ou mais frentes.
      Ja, um keike é uma muda que nasce do meio de bulbos, ou de hastes florais e eles podem ser destacados e replantados separadamente.
      Quando ao adubo em soray você borrifa o substrato e raízes até umidecer bem.
      Espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só perguntar. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  15. Ola amigo andrew feliz ano novo andrew to com 1planta q o keike tabm grandim ms so tm 3 raiz bm cumprida e 1saiu por dentro donpseudobubo vizinho acho q p tiralo soncortando e ai amigo? Qm podera m defender? Vc so t enviar a foto pnemail ok? Abraço d urso qerido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!! Olha quando ele já tiver umas 3 a 4 raízes grandinhas é o melhor momento para retirar. Você já o destacou ou ainda está na planta mãe?

      Excluir
    2. Olá Elisabete! agora vendo a foto não dá para visualizar o keike. Teria outras fotos mais detalhadas?
      Você já removeu o keike ou ainda não?

      Excluir
    3. Olha aparentemente sua planta está bem sadia bem forte! Continue a adubando normalmente e cuidando normalmente para garantir que floresça firme e forte.
      Agora quando for ter que replantar recomendado que corte as hastes totalmente e espere ela começar a emitir folha e raízes novas e então ai sim fazer replanta, mas deixe isso para o final do próximo ano, porque ela está muito vigorosa!
      Espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só perguntar!
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  16. Olá, gostei muito da matéria, foi inclusive muito útil pois preciso transplantar algumas orquídeas. Fiquei tentando abrir o pdf e não consegui, ele seria muito útil para minhas catleias. Poderias repostar o pdf por favor? Muito obrigada. Simone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Obrigado pelo recado! Realmente vi que o PDF está com problemas. Irei corrigir isso o mais rápido possível! Forte abraço Simone!

      Excluir
  17. Olá amigo, adorei o seu blog, tenho 1 Phal e 4 Dendobrium (agregatum, Thyrsiflorum, Densyflorum e Amthysterogium plantadas em vasos de barro. ontem replantei a Phal usando somente casca de pinus e carvão, tirando ela do recepiente que havia sido criada e passando para um vaso de barro maior, com furos nas laterais...esta saindo uma folha nova como devo fazer a rega, as Dendobrium estão crescidas, e me informaram que entre o mes de julho até o final da floração fazer a rega somente 1 vez por semana, isso é verdade...como poderia enviar fotos....obrigado, Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marina No caso da Phal recem plantada a rega será feita sempre que o substrato estiver seco, provavelmente com esse substrato quase que diária ou até diária dependendo das condições do seu ambiente. Já com os Dendrobiuns no caso destes não se faz o corte na rega, você pode apenas espaçar um pouco mais a rega, mas continue seguindo a regra de secar e molhar, mas aí você apenas estende um pouco mais o tempo do substrato seco. O corte da rega regando quase nunca se faz mais para os Dendrobiuns do grupo dos híbridos de nobile.
      Bom, espero ter ajudado e querendo enviar fotos e mais dúvidas pode mandar para o e-mail do blog:
      orquideassemmisterio@gmail.com
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  18. Olá Sr Andrew, muito obrigada por sua resposta, sim a Phal como ainda é uma muda, (saindo uma folha e uma brotoeja) creio que deverá ter rega diária ou quando o substrato estiver seco! As Dendobrium, me falaram que, como elas provavelmente iram florir no final do inverno começo da primavera, que eu deveria deixa-las com o substrato bem seco, ou seja, regar 1 vez por semana, escolher um dia da semana e fazer a rega somente neste dia (boferizar somente) e isso as faria florir, daria uma sensação de que elas iriam morrer, e assim iriam florir rápido, esse método daria a floração em outubro e após o final da floração, bastante rega até o mes de maio.Onde moro tenho uma alta umidade do ar a noite 80 a 100% mais com esse clima seco...fico na dúvida.moro em MG. Tenho uma Thyrsiflorum, uma Densyflorum, uma ametystoglossum, e uma Agregatum, Isso é verdade que deveria cortar a rega fazendo somente 1 vez por semana....para que elas possam florir em outubro...

    Mais uma vez muito obridago,
    Att,
    Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marina! Quanto a rega da Phalaenopsis é isso mesmo, a regra é em função da secagem do substrato.
      Quanto aos Dendrobiuns devemos tomar cuidado pelo fato da regra do estresse hídrico não se aplicar a todos, na verdade ela se aplica a um determinado grupo de Dendrobiuns que tem como característica a queda das folhas e a necessidade maior de frio, como é o caso dos nobiles e seus híbridos, o loddiesii, o anosmum e outros desse tipo. Já Dendrobiuns como thyrsiflorum, densiflorum, agregatum e outros que não perdem as folhas não deve-se fazer o estresse, devendo e podendo apenas dar uma ligeira espaçadada a mais na rega sem necessariamente molhar apenas uma vez por semana e regar normal quando for molhar, pois como estas plantas não derrubam as folhas normalmente um estresse poderia desidratar em demasia as plantas e não ter uma resposta positiva na floração. Os De clima quente então esses não devem mesmo cortar a rega e nem espaçar mais.
      Bom, espero ter ajudado de novo, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato novamente. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  19. Existe algum defensivo caseiro para pragas, como a podridão negra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andrea! Para podridão negra a melhor prevenção é um bom cultivo com um substrato de qualidade bem drenado, novo e ventilado, ventilação do ambiente, regas equilibradas, compra de plantas sadias e identificadas e uma nutrição balanceada e completa, só isso por si só já previne bastante o risco de podridões e outras doenças e existe algumas soluções caseiras também e de baixo impacto como calda de cebola e alho, calda bordalesa, por exemplo, que ajudam a previnir contra doenças, mas apenas como bons preventivos. Plantas com podridão negra detectada a eliminação da mesma ou partes afetadas com isolamento é a melhor medida.

      Excluir
  20. Replantei minhas phalaenopsis em cachepots de madeira, há algum problema nisso? Muitos dizem que não sobrevivem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há problema nenhum, desde que se consiga manter a umidade e o ambiente não seja muito seco, pois neste caso ela iria desidratar rápido demais e seria complicado para mante-la hidratada, mas do contrário, sem problemas, lembrando que a rega em cachepots é praticamente diária.
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato. Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  21. Olá Andrew, obrigado pela resposta, Com os Dendrobium Thyrsiflorum, Agregatum Densyflorum e Amsthylogossum estou fazendo a rega com adubo diluído em água, todos os domingos pela manhã. (elas pegam indiretamente o sol da manhã até as 10:00hs) Apesar da temperatura seca durante o dia, (não chove a 2 meses aqui em MG) a noite e madrugada, a humidade do ar é de + de 90% e muitas vezes de 22:00hs até 06:00hs da manhã de 100%. Mesmo assim terei que fazer a rega mais vezes por semana? A floração delas é em outubro? Muito Obrigado mais uma vez!
    PS: Semana que vem chegaram uma dendobrium Mousmee e uma Fimbriatum Oculatum devo fazer a mesma ou outro tipo de rega com adubo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Marina a Floração delas é agora estendendo até outubro/novembro. O importante é você não deixar ela seca por períodos prolongados e ir respeitando a regra basica do secou molhou talvez dando apenas um pequeno espaçamento e a necessidade você verá de acordo com a secagem dos substratos em que elas estão. O fimbriatum como cai as folhas você já pode cortar mais a rega. é interessante também, ainda em relação a rega e isso é para todas é que existam regas sendo feitas sem adubação e pelo menos 1 vez por mês uma rega forte bem forte para lavagem dos substratos para evitar o excesso de sais da adubação acumular no substrato.

      Excluir
  22. Ok Andrew, muito obrigado! Vou então fazer a rega mais ou menos 2 vezes por semana, (uma com adubo e outra sem) até porque, elas estão plantadas em vasos de barro com buracos em volta, e o substrato de casca de pinus e carvão vegetal e bem grosso, e ainda no fundo do vaso, quando plantei, coloquei em algumas pedaços de telha quebrado e em outras brita. causando assim uma secagem bem rápida, penso eu. Farei a rega então as quartas-feiras e aos domingos. Não gosto muito de borifar pois creio que com esse tipo de substrato muito grosso, a agua borifada não chega até a raiz, Pena que não posso enviar fotos para que possa ve-las. No tronco, perto das folhas tem um tipo de anel redondo amarelo, mais sou iniciante e não sei ao certo se a floração começaria ali.Estou ansiosa para ve-las florir. Obrigado e um forte abraço

    ResponderExcluir
  23. Ah, uma correção a respeito do substrato....Casca de pinus, Fibra de coco, e carvão vegetal, contendo no fundo do vaso pedaços de telha e ou brita. Detalhe: A amethystoglossum esta saindo os primeiros botões de flores, mais as folhas estão um pouco frágeis, uma já caiu e outra esta amarelando, será a rega muito espaçada?? Desculpe tantas perguntas, mais sou apaixonada por elas :0)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marina! O substrato está bom e realmente pode ser pouco a rega mesmo. Se notar os bulbos enrrugando então é mais um indicativo que deve molhar mais. Use a regra do dedo pra saber quando deve molhar. Enfie o dedo no substrato e vai vendo quanto tempo ele demora para secar e quando secar sempre regue com vontade mesmo.

      Excluir
  24. Por favor me ensine como plantar semente de fhalonopolis, estou com semente que comprei (posso semear e deixar no mesmo vaso ??)Agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wil Recomendo você assistir os vídeos e ler as postagens referentes a semeadura de orquídeas. As postagens se encontram no menu principal na parte de dicas de cultivo, depois cultivo avançado e então em semeio de orquídeas.
      Agora tenho que lhe dar uma má noticia. Essas sementes que você comprou não são de Phalaenopsis e de nenhuma outra orquídea. Você foi enganado, pois sementes de orquídeas não são comercializadas por uma série de fatores que impedem seu comércio e produção. As sementes de orquídeas são muito pequenas e sem tecido de reserva precisando de condições especiais para germinarem. Possuem aspecto de um pó
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo outras dúvidas é só entrar em contato.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  25. Oi, adorei o blog, só uma duvida, ganhei uma phalaenopsis na fase de floração posso replanta-la?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thamiris! é aconselhável esperar o término da floração para efetuar o replante com segurança.

      Excluir
  26. Sr. Andrew eu tinha lesmas em meu orquidario (pequenino) entaõ vi remedio com cobre. 4 colheres de cobre em um litro de agua. eu coloquei nos vasos e no chao. agora percebi que os breotos estao morendo. vou perder minhas dendrobium e fhal verde. ou tem alguma coisa que posso fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Angela Olha O sulfato de cobre que você usou, é um micronutriente fundamental para a planta e também atua como fungicida, porém ele pode causar intoxicação severa, quando usado de modo inadequado ou em plantas sensíveis, como os Dendrobiuns. Você usou uma dosagem muito elevada e por ser um produto ácido ele intoxica mesmo! O cobre não deve ser usado em orquídeas desta maneira e sim na forma de calda bordalesa, que deve ser feita com as dosagens recomendadas e feita na hora. Aqui no Orquídeas Sem Mistério você encontrará uma postagem sobre como fazer a calda bordalesa e também sobre o cobre e as orquídeas mostrando o uso errado e o uso certo e o efeito de intoxicação.
      Para lesmas procure pelas iscas lesmicidas, como o metarex.
      Quanto a planta intoxicada o melhor é agora fazer adubação normalmente para cortar o efeito tóxico do cobre e regar normalmente com boas lavagens de substrato para remover os excessos.
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  27. Estou triste pois so agora que eu consegui que saissem brotos e alguns brotos estragaram. se ra que a plantinha vai morrer?Por favor me ajude.!!!!!

    ResponderExcluir
  28. Sr. Andrew eu tinha lesmas em meu orquidario (pequenino) entaõ vi remedio com cobre. 4 colheres de cobre em um litro de agua. eu coloquei nos vasos e no chao. agora percebi que os breotos estao morendo. vou perder minhas dendrobium e fhal verde. ou tem alguma coisa que posso fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Angela Olha O sulfato de cobre que você usou, é um micronutriente fundamental para a planta e também atua como fungicida, porém ele pode causar intoxicação severa, quando usado de modo inadequado ou em plantas sensíveis, como os Dendrobiuns. Você usou uma dosagem muito elevada e por ser um produto ácido ele intoxica mesmo! O cobre não deve ser usado em orquídeas desta maneira e sim na forma de calda bordalesa, que deve ser feita com as dosagens recomendadas e feita na hora. Aqui no Orquídeas Sem Mistério você encontrará uma postagem sobre como fazer a calda bordalesa e também sobre o cobre e as orquídeas mostrando o uso errado e o uso certo e o efeito de intoxicação.
      Para lesmas procure pelas iscas lesmicidas, como o metarex.
      Quanto a planta intoxicada o melhor é agora fazer adubação normalmente para cortar o efeito tóxico do cobre e regar normalmente com boas lavagens de substrato para remover os excessos.
      Bom, espero ter ajudado, mas tendo mais dúvidas é só entrar em contato.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  29. Gostaria de transplantar uma Phalaenopsis para um novo vaso, pois ela já tem 3 anos e parou de florir. Como faço? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria! O replante das Phalaenopsis é semelhante para as demais, porém essa época de frio não é interessante fazer, pois elas estão em baixa atividade, sendo mais interessante fazer o replante na primavera e verão. Veja mais detalhes sobre manejo de Phalaenopsis nas 2 matérias sobre Phalaenopsis deste blog e tendo mais dúvidas é só entrar em contato.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  30. Sr Andrew, bom dia!
    Parabens pela sua habilidade incrivel com suas orquideas!
    Gostaria que o Sr me ajudasse em enviar o endereço onde comprar os vasos de barro para as minhas orquideas, nao gost de plastico. Agradeço se o Sr puder me ajudar, te agradeço!
    Maria Luiza /Sao Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bisa! Infelizmente ficarei lhe devendo, pois geralmente quando os compro compro em exposições de orquídeas. Tem um bom produtor de vasos de barro do tipo piracicabano ue é um de barro bem resistente e bem levinho, mas não sei o endereço, mas ele é de rio claro.

      Excluir
  31. CRISTIANE F DA SILVA5 de agosto de 2016 12:44

    SR Andrew,sou amante de orquideas porem iniciante,gostaria de saber a melhor forma de adubação quais produtos usar para produzir flores,achei bem informativo seu blog,mais tenho muito para aprender...gostaria de umas dicas para iniciantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristiane! O mais importante para uma adubação de sucesso em suas orquídeas é primeiro entender o que é a adubação e o seu papel, que é fornecer em quantidades equilibradas a planta de todos os minerais essenciais ao seu desenvolvimento e existem várias maneiras e produtos que fazem esse papel. Recomendo ler as postagens sobre adubação contidas aqui neste blog. Para acessa-las vá no menu principal em dicas de cultivo e cultivo básico e lá encontrará duas postagens sobre nutrição de orquídeas e tendo mais dúvidas é só entrar em contato novamente que terei o prazer em ajudá-la.
      Forte abraço e até a próxima!

      Excluir
  32. Olá. Uma orquídea minha, após concluir a floração, botou um broto na haste de floração. No momento, está com 3 folhas, mas não há raiz. É possível produzir uma muda a partir desta brotação? Como fazer? Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos! é sim! Se for uma Phalaenopsis aguardar que essa muda emita umas 2 a 3 raízes e que essas estejam com uns 3 a 5cm para então destacar e plantar em outro vaso de tamanho e substrato adequado.

      Excluir
  33. Minha Denphal veio num côco já quebrado e algumas raízes estão no interior e outras (muitas) fora dele. Faço o replantio acoplado ou retiro do côco? E como faço isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Ele veio num pedaço de coco? Se ele está amarrado em uma casca de coco inteira e está bem enraizada com raízes fora e dentro e está bem mantenha como está, mas envie fotos dele para orquideassemmisterio@gmail.com para ver melhor.
      Forte abraço!

      Excluir
  34. ao separar as mudas umas saiu sem rais alguma .....eu replantei ela separada para ter cuidados especias .....mais ela sai raiz de novo e vai pegar ....o que faço neste caso? obriga .....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ilda! Sim, se ela estiver sem raiz, mas o rizoma estiver bom e ela tiver gemas viáveis sim ela deve enraizar e emitir novas brotações, mas claro é fundamental dar boas condições para isso com luminosidade moderada, regas regulares e boa umidade ambiente, além de se poder usar enraizadores que ajudarão a melhorar e acelerar esse enraizamento.

      Excluir
  35. Só passando de novo por aqui pra tirar dúvidas e aprender mais um pouquinho... e pra dizer que esse teu blog é muito, mas muito bacana mesmo e pra agradecer por compartilhar conosco, pobres amadores apaixonados por orquídeas, todo seu conhecimento!!

    ResponderExcluir
  36. Minha mudinha de orquideas catleya está com brotos qual a adubação apropriada para este tipo de orquideas para o crescimento do seu broto

    ResponderExcluir
  37. Serrar pedaços de galhos de arvores secos bem pequeno para misturar com o substrato de casca de coco seco e casca de pinus fica um bom substrato para orquideas

    ResponderExcluir